domingo, 2 de fevereiro de 2014

DESAPARECIMENTO DE ARQUITETO EM MEIO À VENDA DE MANSÃO EM JACARAPAGUÁ - POR R$ 1,5 MILHÃO EM ESPÉCIE

NEGOCIAÇÃO SERIA FEITA EM ESPÉCIE


Um caso bastante intrincado e que deixa sérias dúvidas sobre o tipo de negociação - VENDA DE IMÓVEL - por um VALOR MUITO ALTO - R$ 1, 5 MILHÃO - EM ESPÉCIE.

O desaparecimento do vendedor e de seu carro no dia em que a negociação seria feita, a presença na MANSÃO de uma pessoa que se disse a compradora do imóvel, dinheiro não depositado na conta do vendedor, procuração bloqueada em cartório.

O período longo do desaparecimento do Arquiteto, faz aumentar em muito à preocupação quanto à sua segurança e vida. Por certo, a Polícia vai levantar e rastrear ligações de celular e telefones fixos, vai continuar buscando com amigos informações que possam indicar onde a transação seria feita e vai identificar os compradores. Se houve, como tudo indica que houve, uma ação criminosa paralela ao ato de venda do imóvel ou, suposta venda, com simulação de compra ou emboscada para assaltar o arquiteto logo após a venda da casa, a Polícia vai descobrir. Não só quem iria comprar o imóvel deve ser investigado, pois, outras pessoas podem ter tomado conhecimento da transação, e do dinheiro VIVO que estaria sendo transportado.

A questão agora é localizar o Arquiteto, e que fique bem claro para quem faz qualquer tipo de negociação, que é preciso se cercar de cuidados.

FAZER O NEGÓCIO EM LOCAL PÚBLICO

INFORMAR SEMPRE A ALGUÉM DE CONFIANÇA COM QUEM ESTÁ NEGOCIANDO

NÃO RECEBER E TRANSPORTAR SOMAS ELEVADAS EM DINHEIRO

IR A DETERMINADOS ENCONTROS SEMPRE ACOMPANHADO

DEIXAR CLARO PARA A OUTRA PARTE QUE NÃO HÁ COMO REALIZAR QUALQUER TIPO DE ILEGALIDADE, POR ESTAR ASSESSORADO POR ADVOGADO E OUTRAS PESSOAS CIENTES DO NEGÓCIO.

007Contraocrime

Arquiteto desaparece ao negociar imóvel de luxo

Polícia apura caso ocorrido há três semanas em Jacarepaguá, onde ele teria pedido R$ 1,5 milhão por residência em condomínio. Dinheiro também não foi encontrado

Rio - Há três semanas, parentes e amigos do engenheiro e arquiteto Evando Bento da Silva, de 58 anos, buscam uma resposta para o seu desaparecimento. Desde que saiu de Jacarepaguá para supostamente receber pagamento pela venda de sua casa, ele nunca mais foi visto. Segundo amigos, ele receberia o montante de R$ 1,5 milhão pelo negócio, mas a polícia não encontrou nenhum indício de que o dinheiro teria sido pago. O setor de Busca de Desaparecidos da Divisão de Homicídios assumiu as investigações na última quinta-feira.

Segundo relatos de amigos do arquiteto, ele teria comprado e reformado a casa de luxo, num condomínio na Taquara. “Apareceu um comprador interessado e eles ficaram em contato durante um tempo. O Evando disse a um amigo que iria ao encontro do homem, que faria o pagamento em espécie no dia seguinte. Foi a última vez que falamos com ele”, contou o amigo, que pediu para não ser identificado.

Carro da vítima também sumiu

Amigos acreditam que Evando tenha desaparecido pouco antes do meio-dia, já que o seu compromisso de trabalho era às 13h. O carro dele, um Gol, também sumiu.

Parentes de Evando vieram de São Paulo para prestar depoimento. Funcionários da empresa onde ele trabalha e pessoas conhecidas do arquiteto também foram ouvidas.

Ainda segundo relato de testemunhas, Evando teria feito procuração para o comprador e assinado recibos de venda do imóvel. Os amigos conseguiram bloquear o documento em cartório

leia + aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, ele é importante registro de sua visita e a expressão da sua opinião.

As Matérias mais lidas da SEMANA