sexta-feira, 12 de maio de 2017

ATAQUE CIBERNÉTICO - RANSOMWARE - ATINGE EMPRESAS E COMPUTADORES EM 74 PAÍSES


EM VELOCIDADE METEÓRICA, O ATAQUE VAI ATINGINDO ALCANCE IMPRESSIONANTE, OBRIGANDO AO DESLIGAMENTO DOS COMPUTADORES E SISTEMAS.

CIBERPIRATAS EXIGEM PAGAMENTO DE "RESGATE" PARA LIBERAR MÁQUINAS DAS EMPRESAS. 

VIVO - SANTANDER - KPMG - TELEFÓNICA DA ESPANHA - PORTUGAL - HOSPITAIS DE VÁRIOS PAÍSES, JÁ FORAM OBRIGADOS A SAIR DO AR. 

NO BRASIL SITES DE TRIBUNAIS ESTÃO SOB ATAQUE

Após relatos de ataques cibernéticos em empresas da Europa ao longo desta sexta-feira, 12, começam a surgir no Brasil os primeiros relatos de efeitos do ataque. Segundo apurou o Estado, dentre as empresas afetadas estão a sede brasileira da Telefônica/Vivo, em São Paulo, além do Tribunal de Justiça de São Paulo, o Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo e o Ministério Público do Estado de São Paulo. Ainda não está claro, porém, o alcance dos ataques no País.

De acordo com fontes ouvidas pelo Estado, os funcionários da Telefônica/Vivo foram orientados a desligar os computadores e desconectar todos os dispositivos da rede corporativa. No início da tarde, a empresa orientou os funcionários do prédio administrativo a deixarem a empresa, já que apenas um número reduzido de executivos e funcionários formariam um comitê de crise para resolver o problema. A empresa não confirma oficialmente as informações sobre a dispensa de funcionários e afirma continuar operando normalmente.

Fonte: Estadão

sábado, 6 de maio de 2017

ARMAS E MUNIÇÃO PARA O TRÁFICO - PM QUE ESCOLTAVA CARGA É PRESO PELA POLÍCIA CIVIL

    O PIOR DOS BANDIDOS    


De uma só vez, a Polícia Civil do Rio - 39a. DP - PAVUNA - Zona Norte da Cidade, prendeu o soldado PM da Unidade de Polícia Pacificadora da Vila Cruzeiro, na Penha, Vinícius dos Santos, e Paulo César Oliveira, conhecido no meio do crime como "Índio". Segundo a polícia, "índio" é o principal fornecedor de armas e munições para bandidos do Rio de Janeiro, e estava foragido do sistema penal, condenado há mais de 20 anos de prisão por homicídio e roubo.

O PM fazia a escolta do traficante, levando farta MUNIÇÃO para pistola e fuzil.

A dupla foi abordada por policiais da 39a. DP, e o veículo revistado, sendo a munição, que está avaliada em aproximadamente R$ 18 mil, encontrada no porta-malas do veículo. O PM tentou intimidar os policiais, mostrando sua identificação, mas, como a dupla já vinha sendo investigada, não logrou êxito em escapar.

A PM divulgou nota dizendo que repudia a atuação do policial, e que ele não representa a corporação.

De fato, um Policial que ajuda a ARMAR e MUNICIAR criminosos, pode ser considerado o pior inimigo de outros policiais e da sociedade.

O TRAFICANTE DE ARMAS ÍNDIO volta para a cadeia onde vai cumprir o restante de sua pena, agora com o agravante da FUGA e da nova acusação, e o PM, vai responder a INQUÉRITO, se comprovada sua culpa será expulso da corporação e vai pegar uma condenação por por porte ilegal de munição.

Tudo indica que eles levariam as "balas" para o tráfico da Vila Cruzeiro.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

SÉRGIO CABRAL VAI CONTINUAR PRESO EM BANGU - 03/05/2017

SUPERIOR TRIBUNAL E JUSTIÇA NEGOU HABEAS CORPUS


O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou nesta terça-feira (2) um habeas corpus que pedia a liberdade do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, preso desde novembro do ano passado, no âmbito da Operação Calicute, um dos desdobramentos dos esquemas de corrupção revelados pela Lava Jato.

A Sexta Turma do STJ, que julgou o pedido de liberdade de Cabral, considerou não haver nenhuma ilegalidade na prisão preventiva dele. Para os ministros do tribunal, a prisão do ex-governador se justifica pela possibilidade do cometimento de novos crimes e na garantia da ordem pública. A relatoria foi da ministra Maria Thereza de Assis Moura.

Em 29 de janeiro, o vice-presidente do STJ, ministro Humberto Martins, negou uma liminar para libertar Cabral, confirmando o entendimento do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) que, em novembro, havia ordenado a manutenção da prisão do ex-governador.

Com informações do Jornal do Brasil

As Matérias mais lidas da SEMANA