quinta-feira, 7 de julho de 2016

PASTOR EVANGÉLICO - FELIPE HEIDERICH - CONTINUARÁ PRESO EM BANGU 10


Preso desde terça-feira, o pastor Felipe Garcia Heiderich, suspeito de abusar sexualmente do enteado de cinco anos, CONTINUARÁ isolado em uma cela da Cadeia Pública José Frederico Marques, Bangu 10, no Complexo Penitenciário de Gericinó. 

Acusado de um GRAVE CRIME, Felipe Garcia Heiderich teve o Habeas Corpus impetrado por seus advogados, negado pela JUSTIÇA do Rio de Janeiro.

O caso abalou e envergonhou a comunidade dos evangélicos, e lançou outra vez uma suspeição sobre a conduta anormal e criminosa de muitos desses SUPOSTOS E AUTO-PROCLAMADOS líderes religiosos, ora envolvidos em caso de corrupção, lavagem de dinheiro, sonegação, ora em casos de HOMOSSEXUALIDADE ESCONDIDA, pedofilia e abusos contra membros da igreja ou até parentes.

No presente caso, a suposta vítima seria o próprio enteado de Felipe Garcia Heiderich, que era até poucos dias atrás um dos ÍCONES DOS EVANGÉLICOS - Líder ao lado da esposa, a Pastora Bianca Toledo, na Aliança Mundial de Evangelização e Ensino (AME), com sede no Rio de Janeiro.

Quem denunciou o crime de abuso foi a própria esposa de Felipe Heiderich, que é mãe do menino de 5 anos. A pastora Bianca procurou a Polícia - Delegacia de Atendimento à Criança e Adolescente Vítima (Dcav) - para denunciar o marido por abuso sexual contra a criança, o que acabou sendo confirmado por laudos e entrevistas com psicólogas, que confirmaram a denúncia, de acordo com o inquérito. O menino disse para a mãe que era abusado pelo padrasto durante o banho.

O caso teve ainda repercussão nacional, já que o Senador Magno Malta também fez a divulgação do caso no Senado Federal.

Segundo outras fontes, a pastora já entrou com pedido de anulação de casamento, e o pastor acusado teria tentado o suicídio tão logo sua conduta foi descoberta e denunciada.

As Matérias mais lidas da SEMANA