sábado, 1 de junho de 2013

CICC - O BUNKER DA SEGURANÇA PÚBLICA EM ÂMBITO NACIONAL

ESTÁ SITUADO NO RIO DE JANEIRO

“Aqui será o cérebro. As outras cidades que forem sediar os jogos receberão centros integrados provisórios, que se tornarão definitivos até a Copa do Mundo. Historicamente, servirá para que nos preparemos ainda mais para a Copa do Mundo de 2014. Nunca a segurança pública brasileira teve um espaço desta natureza, que permite às forças dialogarem entre si por meio de processos decisórios velozes”. 

Palavras do Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, durante a inauguração do CICS , quando ressaltou ainda a importância que o Rio desempenhará durante a Copa das Confederações. O CCIS Federal -Em Brasília - Só ficará pronto no início de 2014, quando então assumirá o controle e coordenação da segurança pública em todo o Brasil.

A função do CICC é cuidar do monitoramento, planejamento e da execução de ações de policiamento, segurança, salvamento e atuação das forças armadas nos grandes eventos, garantindo uma perfeita integração  das Polícias Federal, Rodoviária, Civil e Militar, além do Corpo de Bombeiros e das Forças Armadas, durante os grandes eventos que o Brasil vai sediar de agora até 2016. O novo centro também contará com a participação dos serviços da prefeitura, e será fundamental no caso de grandes chuvas ou outros acontecimentos como desabamentos ou incêndios. Vai funcionar 24 horas por dia, durante toda a semana. Cerca de 1.200 pessoas trabalharão no CICC.


O governador Sérgio Cabral, disse que o espaço recebeu R$ 108 milhões em investimentos, sendo 30% do governo federal, e 70% do governo estadual.

DADOS TÉCNICOS

O CICC possui autonomia de funcionamento, mesmo em caso de blecaute. O monitoramento cotidiano da cidade e da região metropolitana será feito por meio de 460 câmeras projetadas em um telão de 16 metros de comprimento por cinco de altura, com 98 monitores. Veja o novo vídeo com detalhes de que como será o CICC.

É difícil prever exatamente o efetivo que vai atuar no CICC, até porque parte dele é flutuante, dependendo da situação. Mas pelo menos cerca de 1.000 pessoas trabalharão diariamente nele, parte se revezando em 24 horas e parte durante o expediente. No total, são 668 postos de trabalho, e mais 44 para treinamento, além da Sala de Gerenciamento de Crises e das salas de reuniões existentes.

A segurança da cidade e da região metropolitana irá melhorar na medida em que todos os órgãos de Defesa Social trabalharão juntos no Centro de Operações e a informação chegará a todos no mesmo momento, possibilitando uma resposta muito mais rápida, melhor qualificada e mais coordenada no atendimento às emergências da população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, ele é importante registro de sua visita e a expressão da sua opinião.

As Matérias mais lidas da SEMANA